36573773_1649354525184209_1754939434035314688_n

A publicação PATRIMÔNIOS POSSÍVEIS: Arte, Rede e Narrativas da Memória em Contexto Iberoamericano é uma série de projetos nacionais e internacionais desenvolvidos em diversos países, como Brasil, Uruguai, Chile, Argentina, Colômbia, Portugal e Espanha no campo da arte e da memória. Disponível online em: https://producao.ciar.ufg.br/ebooks/patrimonios-possiveis/index.html

35227213_1925264784152270_251888226908766208_o.jpg

E as Casas do Patrimônio vão se espalhando. A ideia é mobilizar parceiros e pessoas para a construção coletiva de um plano de Educação Patrimonial para o território. O Iphan auxilia os municípios na implantação e se torna mais uma agente na efetivação das ações.
Além disso, exercitamos as Casas do Patrimônio como lugar de articulação para um futuro Sistema Nacional do Patrimônio Cultural.
Parabéns Iphan São Paulo e Casa do Patrimônio de São Luiz do Paraitinga.
Parabéns Prefeitura Municipal de Campinas..

75249412096-152.jpegFoto:  Antonia Moura

Na última segunda-feira (21), o Programa Educativo da Flip realizou mais uma etapa do Ciclo Literatura e Território, com ações focadas em educação patrimonial, baseadas em metodologias que reforçam a identidade e o protagonismo da cultura de Paraty.

Sonia Rampim, representante do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), e Gabriela Romeu, curadora literária do Programa Educativo, conduziram o encontro com educadores da cidade – representantes das 12 escolas públicas e sete bibliotecas comunitárias que participam do projeto.

O diálogo tratou sobre os modos de descobrir, entender e narrar as riquezas do lugar, por meio de inventários participativos, cartografias afetivas e consciência territorial. Na ocasião, Estela Vilela, da Associação Brasileira de Encadernação e Restauro, realizou uma oficina de encadernação artesanal com os professores.

Na terça (22) e quarta-feira (23), aconteceram visitas às escolas para a entrega de maletas aos mais de 200 alunos participantes do projeto. Em cada maleta foram colocados dez livros escolhidos especialmente para cada escola, de acordo com especificidades territoriais.

Texto e foto retirado do link do site da FLIP: http://flip.org.br/edicoes/flip-2018/noticias/programa-educativo-da-flip-realiza-acoes-em-paraty
Mais informações: http://flip.org.br

 

31516581_10211832298708586_203243813861326848_n30739933_833473363528348_8260945508785192960_n

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas e mesa

 

 

 

 

 

O Projeto Educação e Patrimônio Compartilhado: Cooperação Brasil e Holanda pauta-se na interação do público escolar com as fortificações pernambucanas que compõem, com outras 16 espalhadas em 15 estados da Federação, a inserção na lista indicativa do Patrimônio Mundial, como bem seriado. São elas: O Forte de Santa Cruz (Ilha de Itamaracá), O Forte do Brum e o Forte das Cinco Pontas (Recife).

O projeto tem o objetivo de realizar ações de Educação Patrimonial por meio dos Inventários Participativos (desenvolvidos pelo IPHAN) que serão executados por alunos e professores de escolas onde estão localizadas as 03 fortificações, além da identificação das referências culturais locais, sobretudo aquelas que estão nos territórios onde se localizam as fortificações, bem como o fomento à participação do público nas práticas de preservação do Patrimônio Cultural.

Os professores têm a missão de desenvolver, ao longo do ano, Inventários Participativos do Forte das Cinco Pontas, o Forte do Brum e o Forte Orange. Testemunhos da ação portuguesa e holandesa em Pernambuco, os fortes são parte do Conjunto de Fortificações Brasileiras, candidatura a Patrimônio Mundial, que reúne 19 fortalezas e fortes brasileiros. O conteúdo dos inventários servirá de subsídio ao dossiê de candidatura, que será apresentado à Unesco.

Mais informações: http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/4564/holanda-financia-inventarios-participativos-de-fortes-de-pernambuco

A imagem pode conter: texto

O Ministério do Planejamento autorizou, hoje, 03 de maio de 2018, o edital para o concurso do Iphan. São 411 vagas, sendo 104 para Analista, 176 para Técnico e 131 para Auxiliar Institucional, distribuídas em todo o país.  Em breve, será publicado um novo edital de concurso, com oportunidades para trabalhar pelo Patrimônio Cultural do Brasil

Mais informações: goo.gl/zQRLiC

 

O Prêmio BNDES de Boas Práticas para Sistemas Agrícolas Tradicionais é uma iniciativa do BNDES em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa/MAPA), o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/MinC) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO/ONU).

O objeto da premiação é o reconhecimento de boas práticas ligadas à salvaguarda e conservação dinâmica de bens culturais e imateriais associados à agrobiodiversidade e à sociobiodiversidade presentes nos Sistemas Agrícolas Tradicionais no Brasil. Serão consideradas boas práticas as ações que tenham sido bem-sucedidas, tanto na sua execução quanto em seus resultados, e que mereçam divulgação e reconhecimento público.

Os sistemas agrícolas de povos indígenas e de comunidades tradicionais são parte importante da dinâmica econômica de diversas regiões sociopolíticas do país e sua manutenção está vinculada aos saberes ancestrais dessas populações, patrimônios culturais que guardam modos únicos de preservação da agrobiodiversidade.

Valor previsto
Serão premiadas até 15 ações de salvaguarda e conservação dinâmica de SAT no Brasil. Os 05 primeiros colocados receberão o valor bruto de R$ 70.000,00 e os demais colocados receberão o valor bruto de R$ 50.000,00.
 
Para a divulgação do resultado, será realizado um Evento de Premiação e Capacitação, promovido pelos organizadores do Edital. Os grupos sociais/comunidades detentoras do SAT premiados que enviarem um ou mais representantes ao Evento de Premiação e Capacitação receberão o valor bruto adicional de R$ 5.000,00 para viabilizar essa participação.
 
Prazo para inscrição
Até 12 de dezembro de 2017

Maiores Informações em: Site do BNDS

003b8dde-fe53-4a63-b89c-5975e382af09

convite seminario

A Subsecretaria de Educação Básica (SUBEB) convida a comunidade escolar e a sociedade brasiliense para participar do I Seminário de Educação Patrimonial: Lugares, Memórias e Identidades com o objetivo de apresentar a Política de Educação Patrimonial da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF).

Data: 30 de maio de 2017
Horário: 8h30 às 11h30 (matutino) – 14h às 17h (vespertino)
Local: Auditório do DNIT (SAN Quadra 03, Bloco A – Asa Norte, via L2 Norte)
Contato: 3901-3194
Email: geia.dipef@gmail.com

Programação completa e mais informações no link: https://educacaopatrimonial.files.wordpress.com/2017/05/folder-a4-frente-e-verso.pdf

Sem título.jpg

A elaboração conjunta de desenhos e mapas que traduzam histórias, formas de apropriação, lugares afetivos, percursos históricos, tendo como protagonista o Patrimônio Cultural do local, será o foco da Oficina Participativa a ser realizada em São Pedro do Itabapoana, distrito do município de Mimoso do Sul (ES), nos próximos dias 12 e 13 de maio. A atividade envolverá os moradores do distrito com o objetivo de resgatar as memórias coletivas em um projeto de Educação Patrimonial.

A oficina é uma realização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Espírito Santo (Iphan-ES), com apoio da Secretária Estadual de Cultura do Espírito Santo (Secult), da Prefeitura de Mimoso do Sul e da Associação de Moradores da Comunidade de São Pedro do Itabapoana.

O Sítio Histórico de São Pedro do Itabapoana
O distrito de São Pedro do Itabapoana, antiga sede do município de Mimoso do Sul, foi fundado em 1890. Localiza-se no extremo sul do estado do Espírito Santo, fazendo divisa com o estado do Rio de Janeiro. Tombado pelo Conselho Estadual de Cultura do Espírito Santo em 1987, a região preserva a arquitetura do século XIX com casarões e fazendas com arquitetura proveniente do ciclo do café.

Data: 12 e 13 de maio de 2017
Local: Distrito de São Pedro do Itabapoana, Mimoso do Sul

 

feira do pat

O Congresso Internacional em Artes, Patrimônio e Museologia ocorrerá de 17 a 20 de maio de 2017, na Universidade Federal do Piauí (UFPI), uma realização do Programa de Pós-graduação em Artes, Patrimônio e Museologia (PPGAMP UFPI).

Junto ao congresso serão realizados, igualmente a 15ª Semana Nacional de Museus (IBRAM – PPGAMP UFPI) e a Feira do Patrimônio (atividades de extensão)

Inscrições:

Congresso Internacional em Artes, Patrimônio e Museologia

Tema: Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus

Estão abertas de 23 de janeiro de 2017 a 24 de abril de 2017 as inscrições para apresentação de trabalhos no Congresso Internacional em Artes, Patrimônio e Museologia a realizar-se em Parnaíba, Piauí, Meio Norte do Brasil.

 

Programação:

Dia 17/05 as 18h – Boas Vindas – 19 h – Conferência de Abertura

Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus com Ricardo Rubiales |Escuela de Educación Disruptiva México, Museo de los Niños en Paraguay, Museo del Palacio de Bellas Artes | México

Dia 18/05 as 19h – Palestra – Educação Patrimonial e Inventários Participativos com Sônia Regina Rampim Florêncio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN

Dia 19/05 as 19h – Palestra – Projetos e Boas Práticas de Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial com Nei Clara de Lima da Universidade Federal de Goiás – UFG

Dia 20/05 as 9h30h – Mesa – Temática – O Projeto “Sobral Novo Centro” de Revitalização da Cidade Tombada em nível nacional: Parnaíba, Patrimônio Nacional: patrimônio vivo, cidade vivo, com  Anik de A. O. Sousa | Ellaine Martins O. da Rocha | Pamela K Ribeiro Franco Freire | Programa de Pós-Graduação em Artes, Patrimônio e Museologia, Universidade Federal do Piauí -UFPI

10h30m – Mesa – Temática: Projetos e ações colaborativas | agentes públicos e privados

De 18 a 20/05 – De 15h as 18h -Comunicações Orais | Eixos Temáticos – Trabalhos Inscritos e Aprovados para apresentação e publicação nos Anais do Congresso

Maiores Informações em: museologiabr.org

 

Nossos mais profundos sentimentos pelo falecimento de Rosiane Limaverde. Ela nos mostrou a beleza de colocar a afetividade e as emoções no trabalho de campo ao levar as crianças e jovens aos sítios arqueológicos do Cariri. Aqueles olhinhos curiosos e amorosos sempre revelaram que as descobertas do conhecimento estão ali, na realidade cotidiana e nas narrativas das comunidades sobre o seu patrimônio.

Vá em paz Rosiane e nossa gratidão por contribuir com a humanização da arqueologia.
IphanGovBr Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri
Foto de Hélinho Helio Filho

17362939_718995041612083_8386565140649234636_no.

 

%d bloggers like this: