O Seminário “33 anos do Projeto Interação” começa amanhã em Brasília. Veja aqui a programação e mais informações sobre o Seminário. A web-transmissão estará disponível, ao vivo, no link http://www.fci.unb.br/.   

As inscrições para o Seminário “33 anos do Projeto Interação”, que acontecerá em Brasília – DF de 27 a 29 de agosto de 2014, estarão disponíveis no link  http://www.unb.br/administracao/decanatos/interfoco a partir desta sexta-feira, dia 22, até o primeiro dia do evento pela manhã.

Basta clicar no Menu “Cursos”, “Inscrições Abertas”. As inscrições são gratuitas e necessárias para a emissão de certificados de participação.

inscricoesSeminIntera

Para mais informações sobre o Seminário “33 Anos do Projeto Interação”clique aqui.

Acesse aqui a PROGRAMAÇÃO do Seminário.

Web-transmissão do Seminário: o link para a transmissão online do Seminário estará disponível na semana que vem.

arteVitor_parablogO Seminário 33 Anos do Projeto Interação será realizado em Brasília, de 27 a 29 de agosto de 2014, no auditório do Instituto de Ciências Biológicas na Universidade de Brasília, das 9h às 17h.

O Projeto Interação, realizado entre os anos 1981 e 1986, surgiu de uma proposta da Secretaria de Cultura do MEC e teve como finalidade o apoio a ações marcadas pela participação da comunidade e dos professores em todos os níveis dos processos educacionais; pela produção de alternativas pedagógicas e seus respectivos métodos e materiais didáticos; e pela inserção de novos conteúdos pautados no fortalecimento das referências culturais, assumindo que o processo educacional é mais amplo do que a escolarização e não se restringe ao espaço da escola.

Ocorrida nos anos finais do regime militar, a experiência destoava das políticas educacionais vigentes à época, ao propor projetos e iniciativas ancoradas nas dinâmicas culturais locais, com o objetivo de reafirmar a pluralidade e a diversidade e diminuir a distância entre a educação escolar e o cotidiano dos alunos e das comunidades, de modo geral.

A base do Projeto Interação origina-se das experiências do Centro Nacional de Referência Cultural – CNRC, criado em 1975, sob a direção de Aloísio Magalhães. Importante elemento para a compreensão da riqueza de abordagens que o Projeto contemplou em sua concepção e atuação é o fato de haver reunido profissionais de diversas instituições governamentais: Fundação Nacional Pró-Memória (antigo CNRC), Fundação Nacional de Artes – Funarte, Empresa Brasileira de Filmes – Embrafilme, Instituto Nacional de Artes Cênicas – Inacen e o Instituto Nacional do Livro – INL.

O Seminário 33 Anos do Projeto Interação reunirá profissionais atuantes na proposta, bem como contará com a participação de pesquisadores dos campos da educação e cultura. As mesas foram organizadas de modo a permitir uma visão sequencial do Interação, desde os seus antecedentes, em discussões presentes já no CNRC, passando pela discussão sobre a congruência das diversas visões e experiências institucionais dos membros do Grupo de Trabalho que analisava e dava suporte aos projetos, seguindo para a emergência de eixos de atuação, que se deu em função das demandas mesmas das populações e, por fim, abrindo espaço para o conhecimento e discussão sobre propostas vigentes hoje, que têm por inspiração as diretrizes e práticas adotadas pelo Interação ou que guardariam afinidades com elas.

SEMINÁRIO 33 ANOS DO PROJETO INTERAÇÃO
Brasília, 27, 28 e 29 de agosto de 2014, 9h às 17h.

Acesse aqui a PROGRAMAÇÃO  do Seminário

Inscrições: O Seminário é aberto ao público com inscrições gratuitas. As inscrições estarão disponíveis pelo Sistema de Extensão da Universidade de Brasília, a partir do dia 22 de agosto de 2014 (data atualizada!) e durante a manhã do primeiro dia do evento. O endereço de inscrição será disponibilizado assim que o Sistema de Extensão da Universidade de Brasília liberar o link.

Local: Auditório do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade de Brasília – UnB – Campus Darcy Ribeiro – em frente ao ICC Sul

Organização: Núcleo de Estudos da Cultura, Oralidade, Imagem e Memória do Centro-Oeste do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares da Universidade de Brasília – UnB/CEAM/Necoim e Coordenação de Educação Patrimonial, Departamento de Articulação e Fomento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan/DAF/Ceduc

Informações: Coordenação de Educação Patrimonial – educacao@iphan.gov.br
http://educacaopatrimonial.wordpress.com, http://www.iphan.gov.br
(61) 2024-5456/5457/5458/5459

repepA Rede Paulista de Educação Patrimonial – Repep teve início com um projeto de Cultura e Extensão, desenvolvido no âmbito da Universidade de São Paulo (USP) e organizado pelo Laboratório de Geografia Urbana (Labur) do Departamento de Geografia em parceria com o CPC/USP, Centro de Preservação Cultural, sediado na Casa da Dona Iaiá, no Bexiga.

A rede é um coletivo de profissionais das mais variadas áreas de atuação e de diferentes instituições. Fazem parte dela educadores, pesquisadores, arquitetos, historiadores, estudantes de graduação e pós-graduação. A proposta da rede é compartilhar ideias, ações, projetos, dúvidas e inquietações sobre este campo de atuação. Desta forma, a Rede se propõe a ser um espaço de articulação entre os vários segmentos na área de cultura e educação, envolvidos com projetos e temáticas da proteção e valorização da memória coletiva e do patrimônio cultural. A Repep disponibiliza bibliografia sobre o tema e está organizando um banco de dados sobre iniciativas e profissionais de educação patrimonial.

Acesse aqui mais informações sobre a Repep:

http://repep.fflch.usp.br/

https://www.facebook.com/repep

Banco de dados de projetos de EP.

Proext-2015-05

41 Programas e projetos de extensão universitária voltados à preservação do patrimônio cultural foram contemplados com mais de 4.5 milhões de reais em recursos a serem investidos no ano de 2015. Serão 24 projetos e 17 programas voltados ao patrimônio cultural a serem desenvolvidos em todo o país.

O Programa Nacional de Extensão Universitária (ProExt) da Secretaria de Educação Superior (Sesu), do Ministério da Educação (MEC), em sua parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) já proporcionou investimentos de mais de R$ 20 milhões, somente na linha temática de Patrimônio Cultural, desde sua criação em 2009.

O ProExt é uma ação interministerial coordenada pelo MEC e desenvolvida em parceria com as instituições públicas de educação superior por meio de programas e projetos de extensão universitária. O programa conta atualmente com 18 parceiros institucionais. A novidade neste ano, é a inclusão, na linha temática de patrimônio, coordenada pelo Iphan, das ações de museologia social, em parceria com a Coordenação de Museologia Social do Ibram.

De acordo com o edital deste ano, podem participar do ProExt as universidades públicas federais, estaduais e municipais, os institutos federais de educação, ciência e tecnologia, os centros federais de educação tecnológica e as instituições comunitárias.

Para a edição 2015, o edital definiu um aumento do valor dos recursos, que podem ser destinados a programas, com até dois anos de duração (até R$ 300 mil), e a projetos, com duração de um ano (RS 100 mil). O novo edital também permitiu a participação das instituições comunitárias, que não participavam nas edições anteriores.

As listas com a classificação final da linha temática de Preservação do Patrimônio Cultural estão aqui:

Resultado Final 2015 – PROGRAMAS

#Resultado Final 2015 – PROJETOS.

Os resultados gerais também podem ser encontrados na página do programa na internet.

 

A Fundação de Cultura do Mato Grosso do Sul realiza no dia 29 de agosto, no Auditório do Museu da Imagem e do Som o IV Simpósio Estadual de Educação Patrimonial – Diálogo entre cultura e educação, uma oportunidade de ampliar as reflexões sobre a multiculturalidade. As inscrições já estão abertas.

Tema do Simpósio deste ano, o diálogo entre cultura e educação favorece e capilariza práticas e integra novos conhecimentos afetos ao desenvolvimento das ações de educação patrimonial em nosso Estado, reunindo propostas de educadores, arte-educadores, acadêmicos de história, arquitetura e turismo, entre tantos outros profissionais de diferentes segmentos.

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pelo e-mail gphc.fcms@gmail.com. O material será distribuído gratuitamente e o simpósio aberto a todos os interessados na área de patrimônio: acadêmicos, professores e pesquisadores. As vagas são limitadas.

Mais informações no portal do governo do estado de Mato Grosso do Sul

 http://www.noticias.ms.gov.br/index.php?templat=vis&site=136&id_comp=1068&id_reg=255772&voltar=home&site_reg=136&id_comp_orig=1068

Originally posted on Biblioteca Aloísio Magalhães:

A exposição Olhares Múltiplos desembarca em Brasília no próximo dia de 18 de julho. A mostra reúne trabalhos de quatro artistas sobre cinco capitais, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Brasília. A ideia é retratar os pontos mais significantes e que melhor caracterizam cada uma das cidades escolhidas.

As obras trazem a beleza dos cenários propostos, o caos urbano e as mazelas presentes em cada uma das cidades. O objetivo é que o visitante se sensibilize e reflita sobre a variedade e singularidade do patrimônio cultural característicos das capitais.

Os artistas utilizaram técnicas diferenciadas. Altino caldeira e Júlia Bianchi abusaram de paletas e pincéis. José Octavio Cavalcanti usou lápis, já Roberto Marques traçou com tesouras e estiletes monumentos, casarios e cenas do cotidiano.

Essa é a segunda cidade que recebe a exposição. A mostra já passou por Belo Horizonte, e ainda segue para as outras capitais.

Serviço:

View original mais 38 palavras

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 81 outros seguidores

%d bloggers like this: