Posts Tagged ‘Mais Educação’

 

Os ministérios da Cultura e da Educação prorrogaram para até 10 de agosto, o prazo para as inscrições no Programa Mais Cultura nas Escolas. O Programa, desenvolvido em parceria pelos dois ministérios, está recebendo inscrições de todo o país de projetos de atividades culturais que serão desenvolvidas em parcerias com escolas públicas que integram os Programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador do Ministério da Educação.

O Mais Cultura pretende potencializar processos de ensino e aprendizado por meio da democratização do acesso à cultura e da integração de práticas criativas e da diversidade cultural brasileira à educação integral.

O Patrimônio Cultural está no programa com um eixo temático específico, intitulado: Educação Patrimonial – Patrimônio Material, Imaterial, Memória, Identidade e Vínculo Social. A descrição completa do eixo está na resolução FNDE nº30/2012:

IV – educação patrimonial – patrimônio material e imaterial, memória, identidade e vínculo social: atividades participativas de formação cultural e aprendizado que promovam vivências, pesquisas e valorização de bens culturais de natureza material e imaterial referentes à memória e identidade cultural dos variados segmentos da população brasileira, como os monumentos e obras de arte, os modos de vida, as festas, as comidas, as danças, as brincadeiras, as palavras e expressões, saberes e fazeres da cultura brasileira, podendo incluir produção de materiais didáticos, realização de oficinas de transmissão de saberes tradicionais, pesquisas em arquivos e locais referenciais para a história e a identidade local, regional e nacional, dentre outras atividades;

Além deste, outros sete eixos estão disponíveis para as escolas e as comunidades. São eles: Residências de Artistas para Pesquisa e Experimentação nas Escolas; Criação, Circulação e Difusão da Produção Artística; Promoção Cultural e Pedagógica em Espaços Culturais; Cultura Digital e Comunicação; Cultura Afrobrasileira; Culturas Indígenas; Tradição Oral e Educação Museal.

O Programa, que terá investimento de R$ 100 milhões em 2013 para financiar 5 mil projetos, prevê o desenvolvimento das atividades – que poderão acontecer dentro ou fora da escola – durante o ano letivo, por no mínimo 6 meses. Cada projeto terá entre R$ 20 mil e R$ 22 mil em recursos, calculados conforme o número de alunos matriculados na escola. O recurso deverá ser investido na contratação de serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas

Uma lista com as escolas habilitadas para participar do edital, e outras informações sobre o edital poderão ser encontradas no sítio eletrônico do MinC, a partir do link:  http://www.cultura.gov.br/maisculturanasescolas.

Inscrições

Todas as escolas públicas do Mais Educação e Ensino Médio Inovador, contempladas em 2012, além de artistas e iniciativas culturais, poderão inscrever e enviar projetos do Mais Cultura nas Escolas via SIMEC (Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação)  . O processo de avaliação será conduzido pelo MinC e pelo MEC.

Mais Informações: www.cultura.gov.br/maisculturanasescolas.

Dúvidas: maisculturanasescolas@cultura.gov.br.

Read Full Post »

Matéria do NE10 sobre o programa Mais Educação em Olinda.

Desde o início do ano, alunos e professores da rede municipal de Olinda estão envolvidos com a temática da Educação Patrimonial, que permeia as atividades curriculares do ano letivo. Em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), um inventário da cidade está sendo produzido por alunos do ensino fundamental de 28 escolas.
Ao todo, a rede de ensino olindense possui 43 instituições e reúne 24 mil estudantes, dos quais 15 mil alunos participam do projeto Mais Educação, do Governo Federal, com atividades em horário integral. Eles passam o dia na escola e, no contraturno, produzem vídeos, fotos, áudios e textos sobre a história da cidade que foi a segunda do Brasil a ser declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela Unesco, em 1982, após Ouro Preto, em Minas Gerais.
As escolas receberam recursos do Ministério da Educação para elaboração do inventário. De acordo com a diretora de ensino da Secretaria de Educação Olinda, Ana Cristina Fonseca, ao todo foram repassados R$ 6.381 pelo MEC diretamente para cada uma das escolas envolvidas. O investimento foi destinado à aquisição de cinco máquinas fotográficas, um HD externo de 500G, tripé, gravadores mp3, além de pagamento de monitores e transporte.
“É uma parceria nacional com o MEC e o Iphan. Pernambuco foi o estado que teve mais escolas participantes do que juntos somando todos os estados no Brasil e Olinda concentrou o maior número de escolas entre os municípios pernambucanos”, comemorou a diretora.
O resultado do projeto, que tem duração de 11 meses, será enviado ao Iphan a fim de integrar o acervo nacional do instituto, além disso o inventário deverá participar de seleções em concursos na área.

PLANO MUNICIPAL – No âmbito municipal, a temática toma corpo com a elaboração do Plano de Educação Patrimonial de Olinda. O professor de química José Garcia da Rocha, que é coordenador-geral do Grupo de Trabalho de Educação Patrimonial da cidade, esclarece que a ideia foi originada durante um congresso em Ouro Preto no ano passado, cujas bases e diretrizes do plano da cidade mineira inspiraram os olindenses.
Entre os eixos previstos pelo plano estão a transformação em lei municipal que contemple a disciplina na grade curricular de ensino e a elaboração de oficinas e ações sobre patrimônio material e imaterial, não apenas no Sítio Histórico, mas em locais como Águas Compridas e Cidade Tabajara.
O grupo se reúne às terças-feiras, no Laboratório de Preservação da Prefeitura de Olinda. A previsão é concluir a elaboração do documento até dezembro deste ano, quando será enviado à Câmara Municipal para ser votado.

FONTE: NE10

Foto: Alunos da E.M. Brites de Albuquerque fazem inventário do coco de roda. – Divulgação/Secretaria de Educação de Olinda

Read Full Post »

MEC e Iphan disponibilizam publicação que promove a educação patrimonial nas escolas brasileiras. Escolas que aderirem ao Programa receberão equipamentos para elaboração e divulgação de inventários do patrimônio local.
O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta terça-feira, 20 de março, o primeiro fascículo sobre Educação Patrimonial no Programa Mais Educação. O material disponível em http://bit.ly/iphamaiseducacao e que também será distribuído às escolas que optarem pela atividade é o primeiro do kit que englobará outros dois.
A ideia do projeto realizado em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional-Iphan é que os estudantes realizem inventários dos patrimônios locais nos territórios nos quais as escolas estão inseridas. Ao escolher desenvolver o projeto sobre Educação Patrimonial, a escola receberá recursos do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) – Educação Integral – para aquisição de equipamentos audiovisuais. Desta forma, poderão elaborar e divulgar os inventários produzidos.
Serão máquinas fotográficas com a função filmagem; gravadores de áudio digital (MP3); HD externo; tripé de câmera; cartucho colorido de impressora ou apoio para serviço de impressão; fichas para o inventário, além de R$ 1.000,00 (mil reais) como apoio para as saídas de campo; e outros R$ 700,00 (setecentos reais) para produzir exposições, encontros, rodas de memória, mostras de filmes, e outros, a partir dos resultados do inventário.
O segundo fascículo, em elaboração, apresentará conceitos importantes para o desenvolvimento do trabalho como, por exemplo, cultura, memória e identidade. O terceiro trará um repertório de possíveis ações educativas ligadas ao tema. Também está em elaboração um caderno com orientações para a realização do inventário.

A parceria entre MEC e Iphan
A parceria foi iniciada ainda em 2010 e consolidada a partir da participação do MEC no II Encontro Nacional de Educação Patrimonial – II ENEP, realizado em Ouro Preto (MG) em julho de 2011.
A Educação Patrimonial passou a integrar o Macro-campo “Cultura e Artes” do Programa Mais Educação com uma atividade específica que vem sendo construída pelo Grupo Técnico interdepartamental formado com esse fim, e coordenado pela Ceduc/DAF.
O Programa Mais Educação da Secretaria de Educação Básica do MEC envolve, atualmente, 30 mil escolas das redes municipais e estaduais. Em 2012, a expansão do Programa deve incluir, pela primeira vez, escolas de ensino fundamental no campo, com a perspectiva de ingresso de 5 mil escolas da área rural.
O Mais Educação integra as ações do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), como uma estratégia do Governo Federal para induzir a ampliação da jornada escolar e a organização curricular, na perspectiva da Educação Integral. Essa estratégia promove a ampliação de tempos, espaços, oportunidades educativas e o compartilhamento da tarefa de educar entre os profissionais da educação e de outras áreas, as famílias e diferentes atores sociais, sob a coordenação da escola e dos professores.
Trata-se da construção de uma ação intersetorial entre as políticas públicas educacionais e sociais, contribuindo, desse modo, tanto para a diminuição das desigualdades educacionais, quanto para a valorização da diversidade cultural brasileira, reconhecendo que a educação deve ser pensada para além dos muros da escola, e considerar a cidade, o bairro e os bens culturais como potencialmente educadores, eles próprios.
Fazem parte do programa o Ministério da Educação, o Ministério da Cultura, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, o Ministério da Ciência e Tecnologia, o Ministério do Esporte, o Ministério do Meio Ambiente, o Ministério da Defesa e a Controladoria Geral da União.

Outras informações:
Twitter: @educpatrimonial

Read Full Post »

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 82 outros seguidores

%d bloggers like this: